19 de Janeiro de 2011

São cores que se desdobram e

onde deito sobre um manto nú

a pela lisa e macia

como um beijo que se dá

e se memoriza a cada instante.

 

Não, não bebemos da fonte,

aquela fonte maldita da juventude.

Apenas uma água fresca

e tranquila, bebida dos teus lábios

quentes e sumarentos.

 

Nem mesmo na Ilha Perdida

onde a frescura tocava os céus,

saberia encontrar tamanhos amores

e paixões, tal qual estrelas cadentes

que iluminam cada escuridão

escondida em cada canto do meu coração.

 

 

 

 

 

 

 

Imagem daqui http://algarvivo.com/arqueo/romano/baou-ponte-romana.jpg

publicado por luzesletrasimagem às 15:10

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
14
15

16
20
21
22

23
25
27
29

30


arquivos
2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO