29 de Março de 2011

 

 foto minha

 

Rosto

 

Como se um mar de folhas
descobrisse o teu corpo
ouço-te a vida devolvida
à minha vida

Deitas-te assim na dobra estreita
da minha vida não fictícia

Tu és o rosto inexorável
diante de que
o
meu rosto vive
o olhar, a boca, os lábios ácidos
em que os meus, áridos, se extinguem

Gastão Cruz, in "Campânula"

 

Desde há muito tempo que tenho uma grande admiração por este grande poeta algarvio, Gastão Cruz.

O Dia da Poesia passou, e nem me dei ao trabalho de o homenagear. Mas achei que este dia não seria esquecido por todos aqueles que gostam de poesia, tanto ou mais do que eu.

 

O meu gosto por Gastão Cruz prende-se essencialmente na sua forma de escrita e na sonoridade que cada palavra escrita representa. É envolvente e muito intima... é a minha opinião.

 

Por isso, aqui fica um poema bem ao meu género, com uma foto tirada por mim, perto de minha casa, cenário que uso muito nas minhas fotografias home made.

 

Espero que gostem...

 

 

publicado por luzesletrasimagem às 11:43

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
18
19

20
21
22
23
25
26

27


arquivos
2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO