30 de Abril de 2012

Da janela do quarto

vejo a chuva a cair,

levemente batendo na vidraça

como quem ameaça

levar o mundo em frente.

Mas, tem gente

que é pior

do que a chuva

forte, amarga, escura

de nuvens carregadas

de melancolia,

de amargura

 

É de ternura

que falo.

Apenas aquela ternura

trémula, envergonhada

simplista

que bate no vidro escuro da minha alma.

Como a chuva...

batendo levemente,

dormente

na vidraça.

 

Pois, quem passa

não escuta,

não dá atenção

não colhe as maçãs

da primavera.

Apenas se aquieta

ao pé da janela

a ouvir a chuva na vidraça

batendo com força

como um mau sonho

que se escorraça.

publicado por luzesletrasimagem às 14:07

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29


arquivos
2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO